BofA vai receber mais US$ 20 bi do Tesouro dos EUA

Funcionários do governo dos Estados Unidos revelaram no início desta sexta-feira o fechamento de um acordo para conceder ao Bank of America (BofA) uma ajuda adicional de US$ 20 bilhões em capital e até US$ 118 bilhões em proteção contra perdas em seus ativos. Os US$ 20 bilhões serão concedidos nesta sexta-feira por meio de um programa criado para ajudar o Citigroup nos últimos meses. O Tesouro e a Corporação Federal de Seguro de Depósitos (FDIC, na sigla em inglês) vão fornecer proteção para os ativos do banco, que já haviam sido marcados para o atual valor de mercado.O acordo com o Bank of America prevê que o banco vai absorver todas as perdas elegíveis até US$ 10 bilhões. O Tesouro e a FDIC vão dividir o que passar desse montante, até US$ 10 bilhões. A partir daí, 90% das perdas serão absorvidas por meio de um empréstimo do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA). Os outros 10% serão absorvidos pela instituição.Grande parte dos ativos garantidos pelo governo são do balanço patrimonial do Merrill Lynch, segundo os funcionários do governo. O conjunto de ativos consiste basicamente de papéis relacionados a hipotecas desvalorizadas. O Tarp foi criado inicialmente para comprar esses papéis. Também foram incluídos, no entanto, alguns contratos de swap de default de crédito (CDS, na sigla em inglês). As garantias vão vigorar por dez anos para os ativos relacionados a hipotecas residenciais e cinco anos para os ativos não residenciais.Em troca da ajuda, o governo dos EUA receberá US$ 24 bilhões em ações preferenciais do BofA, que pagam um dividendo de 8%. O governo americano também ganhou a promessa de um programa de modificação dos empréstimos, cujos detalhes ainda não foram divulgados. Sob o acordo, os dividendos sobre as ações ordinárias do banco serão limitados a US$ 0,01 por ação, por trimestre, durante três anos. O governo Obama queria que esse limite fosse válido até que o empréstimo oficial fosse pago.O anúncio do Departamento do Tesouro dos EUA chegou no dia seguinte à aprovação, pelo Senado, da liberação da segunda parte dos US$ 700 bilhões do polêmico Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês) e poucas horas antes de o Bank of America divulgar seus resultados do quarto trimestre.O BofA já havia recebido US$ 25 bilhões do Tarp, mas precisou de mais uma injeção de capital para ajudá-lo a digerir as perdas relacionadas à compra do Merrill Lynch. É a segunda vez em que um grande banco dos EUA recorre a um segundo auxílio do Tarp. O Tesouro havia concedido US$ 25 bilhões ao Citigroup em outubro e outros US$ 20 bilhões na noite do Ano Novo.O Tesouro ainda não gastou toda a primeira metade do TARP (US$ 350 bilhões), que foi autorizado a utilizar pela lei de socorro financeiro aprovada em outubro. Mas os compromissos assumidos para ajudar instituições financeiras e montadoras já ultrapassam os US$ 370 bilhões. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.