Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Boi Gordo não confirma quando atenderá CVM

A empresa Fazendas Reunidas Boi Gordo S.A. ainda não se manifestou sobre quando pretende atender a notificação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para que atualize as suas informações financeiras junto à autarquia. A notificação da CVM, segundo comunicado oficial da autarquia divulgado em seu site hoje, afirma que esta é uma exigência decorrente do pedido de concordata preventiva solicitado pela empresa no dia 15 de outubro, na comarca de Comodoro, no Mato Grosso (veja mais informações no link abaixo). A CVM é o órgão responsável pela fiscalização das empresas de contrato de investimento coletivo em engorda de animais.A nota oficial da CVM também alerta que a empresa terá de publicar fato relevante detalhando todas as condições da concordata, bem como a sua atual situação financeira. A Boi Gordo também não se manifestou, até o fechamento desta reportagem, sobre quando pretende atender esta exigência. O comunicado da CVM destaca que todos os atuais prospectos da empresa Boi Gordo não mais "representam a real situação da companhia". CVM suspende distribuição de títulos e ações da Boi GordoA CVM ainda determinou, por meio da Deliberação nº 406, de 17 de outubro de 2001, a suspensão da distribuição pública de Contratos de Investimento Coletivo (CICs) e ações de emissão da Boi Gordo. Vale lembrar que, no final de agosto deste ano, a empresa conseguiu a aprovação da quarta emissão de títulos junto à CVM no total de R$ 260.552.853,00.Juntamente com este lançamento, a CVM também concedeu o registro de companhia aberta e de emissão de ações preferenciais (PN, sem direito a voto) no montante de R$ 315 milhões em ações, as quais ainda não foram ofertadas ao mercado.Orientações ao investidorAinda não se sabe como ficará a situação do investidor que possui CIC firmado com a Boi Gordo. Tudo vai depender das condições propostas pela empresa no pedido de concordata preventiva, as quais ainda não foram divulgadas. O juiz da Comarca de Comodoro, Edson Pereira da Costa, já aceitou avaliar o pedido de concordata e abriu prazo para a análise do Ministério Público.Os investidores devem aguardar agora a publicação do edital do pedido de concordata preventiva da Boi Gordo, que deve ser publicado no Diário Oficial do Estado do Mato Grosso. Mas ainda não se sabe quando o edital será publicado. A Boi Gordo, em comunicado aos seus investidores, se prontificou a publicar a lista dos credores relacionado no edital em seu site (www.boigordo.com.br) assim que o edital for publicado.Segundo entrevista do promotor Mauro Poderoso Souza à repórter Gisele Zangueiro, são muitos investidores - entre 24 mil e 27 mil (o dado final ainda não é conhecido) - e, portanto, foi permitido à empresa relacionar seus credores por meio de edital.

Agencia Estado,

17 de outubro de 2001 | 20h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.