Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

BoJ publica ata de reunião de 31 de outubro

Três membros do conselho de política monetária do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) divergiram sobre alguma parte da ata da reunião de política monetária do BoJ realizada em 31 de outubro. O documento foi publicado pelo banco central nesta terça-feira. Dois dos membros do conselho afirmaram que o banco central deveria alertar sobre os riscos de deterioração que a economia japonesa sofre.

AE, Agencia Estado

26 de novembro de 2013 | 05h44

O presidente do BoJ, Haruhiko Kuroda, já havia adiantado que Sayuri Shirai, Takehiro Sato e Takahide Kiuchi se opuseram a alguma parte do documento.

De acordo com a ata, Shirai propôs que a atenção fosse voltada para os riscos negativos, já que há um alto grau de incertezas sobre as economias estrangeiras. Além disso, o membro do BoJ destacou que é alto o grau de incertezas sobre as expectativas de inflação no longo prazo.

Enquanto membros acreditam que a economia japonesa deve atingir a meta de inflação de 2% dentro do período previsto, Shirai prefere dizer que a economia do país segue em direção à meta em ritmo moderado.

Em relação aos riscos para a economia no futuro, Sato alerta que eles são "um pouco inclinados para o lado negativo".

Já Kiuchi, que propôs constantemente tornar a meta de inflação mais flexível, disse que os preços devem continuar em uma "tendência crescente moderada".

Sobre os Estados Unidos, todos os membros concordam que a economia norte-americana está se recuperando moderadamente. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
japãobojata

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.