Boletim da Fazenda destaca recuo da inflação

O recuo da inflação se intensificou chegando ao varejo e surpreendendo favoravelmente o mercado com taxas mais baixas do que a expectativa inicial, afirma o Boletim de Conjuntura Econômica, divulgado hoje pelo Ministério da Fazenda. "O mês de junho apresentou as menores variações dos índices de preços desde o final de 2002, evidenciando o declínio da inflação que, até o mês de maio, se concentrava nos índices de preços no atacado", ressalta o documento, que afirma ainda que a evolução dos índices de preços para o mês de junho confirma a consistente perda de impulso da inflação. Segundo avaliação dos técnicos da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Fazenda, a desaceleração generalizada dos preços ocorreu devido à reversão das principais pressões altistas de 2002 com o desaquecimento da atividade econômica. Eles destacam que as perspectivas são de permanência da trajetória de queda dos índices nos próximos meses e a sua progressiva convergência para as metas de inflação. Peculiaridades O Boletim faz uma análise do recuo da inflação no varejo em junho que, para os técnicos da SPE, teve duas peculiaridades. A primeira, de acordo com o documento, decorre do fim da diferença entre os índices de preços, que mostravam taxas bem menores para os indicadores de São Paulo relativamente aos índices de preços nacionais. O fato é que os nacionais captavam reajustes de importantes preços monitorados, como energia elétrica, ônibus urbano e taxas de água e esgoto em várias capitais. Esse fato não foi observado no período para a capital paulista. A segunda peculiaridade apontada pelo Boletim para com comportamento dos preços junto ao consumidor está relacionada ao seu menor ritmo de queda, quando comaprado aos índices de preços no atacado. "Diferença essa que foi atenuada nos resultados de junho", ressalta o Boletim.

Agencia Estado,

17 Julho 2003 | 15h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.