Bolívia acusa Petrobras de sabotagem

Hoje a Petrobras foi acusada pela Bolívia de sabotagem. A denúncia foi feita pelo presidente da estatal Yacimientos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB), Jorge Alvarado. Segundo ele, a Petrobras interrompeu a exportação de diesel para o país. "Eu interpreto essa atitude tomada pela Petrobras como um ato de sabotagem. Não posso entender isso de outra forma", declarou Alvarado.A Petrobras Bolívia de Refinacion, distribuidora do grupo, é apenas uma das diversas empresas que exportam diesel para a Bolívia, mas, recentemente, parou de fazê-lo, acrescentou o executivo. Alvarado afirmou que o atraso do governo boliviano em efetivar os pagamentos para a Petrobras pode ter levado o grupo a suspender as importações.Além disso, segundo ele a companhia já aguardou quatro meses para cobrar a Bolívia. Mas a Petrobras é a única empresa que suspendeu as importações de diesel, observou Alvarado.O Tesouro da Bolívia divulgou hoje ter efetuado o pagamento de 25,2 milhões de pesos bolivianos (US$ 3,12 milhões) para as distribuidoras Copenac e Petrobras, visando reduzir o preço do diesel importado nos postos de gasolina da Bolívia. O Tesouro já pagou 405 milhões de pesos em subsídios do diesel esse ano.O presidente da Bolívia, Evo Morales, anunciou em 1º de maio a nacionalização dos ativos de petróleo e gás do país. Ao longo do mês, Morales também declarou que não vê necessidade de compensar as companhias estrangeiras pela possível perda de ativos, o que levou a Petrobras a declarar o congelamento de seus investimentos na Bolívia.

Agencia Estado,

30 de maio de 2006 | 17h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.