Bolívia afirma que compensará Petrobras pela nacionalização

O presidente da estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), Jorge Alvarado, afirmou nesta quinta-feira que a Petrobras receberá uma compensação pela nacionalização de suas duas refinarias no país.Alvarado disse que o Estado deseja controlar 50% mais 1 das duas refinarias, e que para isso fará uma avaliação das ações a serem compradas. Essas unidades de refino funcionam nas cidades de Cochabamba e Santa Cruz, e foram compradas pela Petrobras em 1999, por US$ 102 milhões. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira que o Governo boliviano deve indenizar a Petrobras se quiser ficar com os ativos da empresa brasileira."O presidente Lula manifesta justamente aquilo que nós queremos fazer", afirmou Alvarado. "Nunca dissemos que a nacionalização é confiscatória", acrescentou o executivo.O plano se realizará mediante uma conciliação de contas, já que quando as duas refinarias foram vendidas à Petrobras, havia encanamentos e combustíveis armazenados que não foram avaliados, segundo o executivo da YPFB.As duas companhias ainda continuam a negociar as condições dessa transferência para que a companhia petrolífera boliviana possa assumir o controle da gestão das refinarias, nacionalizadas em maio passado.Adicionalmente, as companhias têm outras negociações em andamento, para analisar o pedido boliviano de fixar um preço superior aos US$ 4 por milhão de BTU (Unidade Térmica Britânica) que Petrobras paga atualmente pelo gás boliviano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.