coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Bolívia dialogará com Brasil após negociação com Argentina

O governo da Bolívia notificará formalmente o Brasil sobre sua intenção de começar a discutir um novo preço para o gás natural que vende ao país logo que concluir uma negociação similar com a Argentina. A afirmação foi feita nesta quinta-feira pelo governo boliviano. O ministro boliviano de Hidrocarbonetos, Andrés Soliz Rada, afirmou à imprensa que as conversas entre La Paz e Buenos Aires estão "muito adiantadas", e se mostrou confiante em que "no fim de semana ou no início da próxima" semana, as partes poderão assinar o novo acordo.Rada foi perguntado sobre a postura da Petrobras de esperar o início do diálogo para deixar correr um prazo de 45 dias e que, caso expirado sem haver acordo, faria com que a estatal levasse o caso à mediação de um tribunal de arbitragem internacional."Por um lado há a arbitragem, mas, por outro lado, há o cumprimento de contrato assim como está", respondeu o ministro, que segundo ele também prevê a revisão periódica do preço em correspondência à tarifa dos combustíveis que o consumidor - neste caso principalmente São Paulo - usaria em lugar do gás natural boliviano."São ´fuels´ (combustíveis) que estão subindo permanentemente. De modo que, sem que se faça nenhum trâmite, nenhuma reunião, nenhuma notificação, o preço ao Brasil no próximo mês já vai estar em US$ 4".O Brasil é o principal importador de gás boliviano, com um consumo de cerca de 26 milhões de metros cúbicos diários a um preço atual de US$ 3,40.

Agencia Estado,

08 de junho de 2006 | 16h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.