Bolívia: investimento para produção de gás é incerto

A Bolívia quer dobrar a produção de gás natural em cinco anos, afirmou o ministro de Hidrocarbonetos do país nesta sexta-feira. No entanto, não é certo se o investimento necessário para que a meta seja cumprida virá. Em teleconferência e entrevista à imprensa em Washington, onde participa dos encontros do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI), o ministro Carlos Villegas disse que o governo boliviano quer dobrar a produção de gás para 80 milhões de metros cúbicos até 2012.Nos últimos dez anos, o governo tem conversado com companhias estrangeiras com a intenção de fazê-las ampliar os investimentos, afirmou Villegas. As companhias devem anunciar os investimentos definitivos em meados de dezembro, segundo o ministro. "Estes investimentos não são apenas para manter os atuais níveis de produção, mas para ampliá-los", informou Villegas.As companhias estrangeiras limitaram os investimentos na Bolívia ao mínimo necessário para manter a produção depois que o país nacionalizou o setor de gás e petróleo. Algumas empresas argumentaram que os novos contratos de produção impostos pelo governo - que elevam impostos e royalties sobre produção para cerca de 80% - tornam os novos investimentos não rentáveis. As informações são da Dow Jones.

PATRÍCIA FORTUNATO, Agencia Estado

19 de outubro de 2007 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.