seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Bolívia notifica Petrobras para negociar o preço do gás

O Governo da Bolívia enviou à Petrobras uma "notificação amistosa" para iniciar formalmente, na próxima semana, negociações para aumentar o preço do gás natural exportado ao Brasil. Jorge Alvarado, presidente da estatal Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB), disse que o documento foi enviado nesta sexta-feira, convidando os executivos para visitar La Paz e estabelecer os acordos. O contrato vigente desde 1999 entre as duas companhias estabelece que, a partir da notificação formal, a YPFB e a Petrobras têm um prazo máximo de 45 dias para um acordo. Se não chegarem a acerto em comum, o tema poderá ser enviado à arbitragem internacional. A Petrobras já tinha pedido a notificação ao governo boliviano para iniciar o diálogo. A YPFB pretende subir o preço atual de US$ 3,40 por milhão de BTU (Unidade Térmica Britânica), embora não se saiba oficialmente qual será a percentagem. O presidente da Bolívia, Evo Morales, decidiu subir o preço do combustível vendido para o Brasil e à Argentina no marco de sua política energética, que tem como eixo a nacionalização dos hidrocarbonetos, aprovada no mês passado. Ainda não se conhece formalmente a proposta boliviana ao Brasil, mas no caso da Argentina, o pedido feito foi de um aumento de US$ 3,35 a US$ 5,50 por milhão de BTU. O Brasil importa atualmente uma média de 26 milhões de metros cúbicos diários e tem um contrato até 2019. A Argentina utiliza 7,7 milhões de metros cúbicos diários da Bolívia e mantém o contrato até o fim deste ano.

Agencia Estado,

10 de junho de 2006 | 15h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.