Bolívia pede que vizinhos não sejam 'egoístas' com o gás

O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou que o Brasil e a Argentina não podem ser "egoístas" em relação ao gás. Morales, que esteve hoje por poucas horas em Buenos Aires, sustentou em declarações à imprensa que convocou a presidente argentina Cristina Fernández de Kirchner e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a decidir em conjunto a forma de conseguir o "equilíbrio" entre os volumes de gás que a Bolívia produz e a demanda - que cresce rapidamente.A Bolívia remete ao Brasil 30 milhões de metros cúbicos de gás diariamente, enquanto o acordo com a Argentina estipula a exportação de 7,7 milhões de metros (embora atualmente, o envio de gás para o mercado argentino seja de somente 2,7 milhões). Tanto o Brasil como a Argentina requerem maiores volumes de gás da Bolívia.Segundo Morales, nenhum dos dois presidentes ainda deu uma resposta sobre sua proposta de reunião. Morales disse que esperará "respeitosamente" algum sinal de Cristina e de Lula sobre a data da reunião presidencial. O presidente boliviano espera o encontro para definir os volumes de gás que a Bolívia fornecerá para os mercados argentino e brasileiro ao longo de 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.