Bolsa bate novo recorde e fecha em alta de 2,30%

O índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa, o Ibovespa bateu novo recorde de pontuação (19.690) e fechou em alta de 2,30%, com giro financeiro de R$ 1,090 bilhão. O setor elétrico seguiu comandando o otimismo na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Entre as ações que compõem o Índice, a maior alta foi apurada pelas ações ordinárias (ON, com direito a voto) da Light, que disparou 11,85%. Em segundo lugar vieram as preferenciais (PN, sem direito a voto da Cesp, que subiu 8,68%. Para completar as três maiores altas do Índice, Celesc PNB subiu 8,33%.No mercado de juros futuros, os contratos com taxas pós-fixadas (DIs) negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) com vencimento em julho fecharam com taxa de 16,22% ao ano, frente a 16,31% ao ano de sexta-feira. Já o contrato com vencimento em janeiro pagou juros de 17% ao ano, frente a 17,02% ao ano de sexta-feira.O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,9210 na ponta de venda dos negócios, em queda de 0,07% em relação às últimas operações de ontem. A moeda norte-americana iniciou o dia no patamar de R$ 2,9300 e oscilou da máxima de R$ R$ 2,9360 à mínima de R$ 2,9130. Com o resultado de hoje, o dólar registra alta de 1,92% em novembro e acumula queda de 17,49% em 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.