Bolsa bate recorde e é o melhor investimento do mês

O Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo - subiu 1,20% nesta sexta-feira, fechando na pontuação máxima de 31.583,7, novo recorde de pontos de fechamento e durante o pregão (intraday), superando as marcas históricas de fechamento do dia 28 (31.317 pontos) e intraday do dia 26 (31.564 pontos). O volume financeiro somou R$ 1,730 bilhão. O último pregão do mês e que marca a virada de trimestre foi também o de adeus ao pregão viva-voz da Bovespa, após 115 anos de funcionamento O mercado de ações lidera pelo terceiro mês consecutivo o ranking de aplicações financeiras mais rentáveis. A Bovespa acumulou ganho de 12,62% no mês de setembro e alta de 26,08% no terceiro trimestre, encerrado hoje. O último pregão do mês e que marca a virada de trimestre foi também o de adeus ao pregão viva-voz da Bovespa, após 115 anos de funcionamento. A partir da semana que vem, as operações serão feitas apenas pelo sistema eletrônico, que já representa, no mês de setembro, 99,87% do número de negócios fechados na Bolsa. O espaço, onde até hoje funcionou o pregão viva-voz, será reformado e aberto à visitação pública de forma permanente com o objetivo de propagar informações sobre investimento em ações. A reforma deve ser concluída até 25 de janeiro de 2006. O antigo local de negociação será dividido em dez ambientes, todos voltados à integração do público com o mercado de capitais. Haverá mesa de operações para simulação de negócios, sala para projeção de filme em terceira dimensão (3D) sobre o funcionamento da Bolsa, museu interativo sobre a história do mercado de capitais, um auditório de 70 lugares para cursos e palestras sobre o mercado, três salas de atendimento para as corretoras se apresentarem aos visitantes, púlpito para a realização de leilões e eventos especiais no pregão e um café. Perspectivas Apesar da forte alta acumulada no ano, a tendência da Bolsa ainda é francamente positiva, reiteram os especialistas. Primeiro, porque o mercado externo deve continuar favorável aos emergentes, o que deve manter aceso o fluxo de investimentos estrangeiros neste quarto trimestre. O Brasil está entre os países emergentes favoritos dos grandes gestores de recursos. Hoje, o JP Morgan elevou nesta sexta-feira a recomendação para os títulos da dívida externa brasileira de "neutro" para "overweight" (acima da média do mercado), conforme confirmou a assessoria do banco de investimento. O segundo motivo é a perspectiva de melhora do rating (classificação) da dívida brasileira pela Moody´s, que está atrasada em relação às demais. E, por último, a queda iminente da taxa de juro, que deve ser aprofundada em outubro, conforme sinalizou o relatório de inflação divulgado ontem. Fim da disputa Esta sexta-feira marcou também o fim da maior disputa societária brasileira, após cinco anos de inúmeras batalhas judiciais. Numa reunião que durou cerca de 30 minutos, a Brasil Telecom oficializou o encerramento da assembléia geral extraordinária (AGE) que afastou os membros do Opportunity do seu conselho de administração. Os fundos de pensão e o Citigroup assumiram a gestão do negócio.

Agencia Estado,

30 Setembro 2005 | 17h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.