Bolsa bate recorde recorde e ações da Petrobras sobem

O Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) - encerrou o pregão de hoje em 41.016 pontos, atingindo nova máxima histórica de pontuação. O resultado superou os 40.410 pontos, registrados em 26 de abril. A variação no dia foi de 1,62% e o volume negociado, de R$ 3 bilhões.O mercado de ações não foi influenciado pela decisão do presidente da Bolívia, Evo Morales, de nacionalizar todas as operações de hidrocarbonetos (gás natural e petróleo) do país, decisão que afeta diretamente as operações da Petrobras. As ações preferenciais (PN, sem direito a voto) da companhia fecharam em alta de 1,56%, cotadas a R$ 46,95. Já as ordinárias (ON, sem direito a voto) subiram 2,92%, negociadas a R$ 52,50.No exterior, os ADRs brasileiros fecharam em forte alta. O papel do banco Itaú encerrou o dia com valorização de 4,47% em US$ 33,44. O Itaú assumirá as operações do BankBoston no Brasil, antes pertencentes ao Bank of America. Já este último terá 5,8% de participação no Itaú e um assento no conselho de administração. Os outros bancos brasileiros negociados em Nova York também fecharam com alta expressiva: o Unibanco avançou 5,57%, para US$ 83,00, e o Bradesco subiu 2,28% para US$ 38,58.O ADR da Petrobras fechou na máxima do dia, com alta de 2,33%, em US$ 102,17. Analistas entendem que a decisão de Evo Morales de nacionalizar os campos de petróleo e gás bolivianos terá impacto mínimo para a companhia brasileira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.