Bolsa cai 0,74% e dólar sobe 2,21% em semana de cautela

Os mercados fecharam a semana sob o signo da cautela, com bolsas em queda e dólar e juros em alta. Mantidas as preocupações com a situação fiscal delicada da Grécia, os investidores receberam com receio o aumento dos juros na Índia, em 0,25 ponto porcentual, para 5%, no caso da taxa de recompra, que é a principal referência para a concessão de empréstimo pelo Banco Central. A notícia veio na contramão das decisões de vários bancos centrais ao longo da semana - como EUA, Japão, Brasil, Turquia, Chile e México -, que decidiram manter suas taxas básicas de juros inalteradas.

Cenário: Claudia Violante, O Estadao de S.Paulo

20 de março de 2010 | 00h00

O Banco Central indiano argumentou que a medida visa a ancorar as expectativas inflacionárias, mas o aperto no juro levantou temores de que possa desaquecer a demanda no país, que é grande consumidor de commodities. Os preços das matérias-primas sentiram o baque, ajudando as ações a recuar e o dólar, a avançar. Fecharam em baixa as bolsas europeias, norte-americanas e a brasileira.

No mercado local, o Ibovespa caiu 1,25%, aos 68.828,98 pontos, e acumulou queda de 0,74% na semana.

A pressão externa recolocou o dólar na marca de R$ 1,80. A divisa no balcão ganhou 0,84%, a R$ 1,801. Na semana em que contabilizou valorização em todos os dias, a moeda norte-americana avançou 2,21%.

Os juros futuros também subiram em meio à zeragem de posições vendidas, motivada pelo aumento do risco de a inflação exigir um esforço adicional da política monetária, após o Comitê de Política Monetária do Banco Central ter mantido inalterada a taxa Selic em 8,75% ao ano. A taxa para julho de 2010 ficou estável em 9,11%; o juro para janeiro de 2011 subiu a 10,32%; e o vencimento de janeiro de 2012 avançou a 11,68%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.