Bolsa cai em dia de vencimento de opções no exterior

Na próxima segunda-feira, 21, é a vez do Brasil, com o vencimento de opções de ações na Bovespa

estadao.com.br,

18 de dezembro de 2009 | 11h30

Em dia influenciado pelo vencimento de opções nos Estados Unidos e Europa, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu o pregão em baixa. Por volta das 11h30, o Ibovespa – principal índice de ações da Bolsa – recuava 0,40%, aos 66.799 pontos. O índice futuro do Ibovespa ensaiava uma alta antes da abertura do mercado à vista, mas o vencimento de opções nas bolsas norte-americanas e européias deixa o mercado de ações volátil nesta sexta-feira, 18.

 

Entre os destaques do dia, as ações ordinárias da CSN tomabavam mais de 4% após a companhia anunciar oferta de cerca US$ 5,55 bilhões pelo controle total da Cimentos de Portugal (Cimpor)

 

Em Nova York, o mercado está mais vulnerável devido ao vencimento quádruplo (quadruple witching) - vencimento de futuros de índices, futuros de ações, opções sobre índice e opções sobre ações - e o vencimento triplo (triple witching) na Europa - vencimento simultâneo de futuros de índice, opções sobre ações e opções sobre índice. Para completar o quadro de incertezas, na segunda-feira, 21, há vencimento de opções sobre ações na Bovespa, o que tende a provocar oscilação maior de preços nas ações de Petrobras e Vale nesta sexta-feira.

 

Não bastassem esses vencimentos todos, a falta de indicadores econômicos nos EUA também deixa os ativos mais suscetíveis a variações mais intensas de preços.

 

Apesar desse tom favorável, os investidores seguem preocupados com a possibilidade de uma elevação antes do esperado nas taxas de juro norte-americanas e com a qualidade do crédito soberano de países como a Grécia. Esses foram os principais motivos que derrubaram Bovespa ontem de 2,27%, aos 67.067,96 pontos, afastando-a dos esperados 70 mil pontos.

 

Empresas

 

No pregão desta sexta-feira, as ações da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) se destacam, após a empresa ter lançado uma oferta de 3,86 bilhões de euros (cerca de US$ 5,55 bilhões) pela companhia de cimentos portuguesa Cimentos de Portugal, que está presente em 13 países. A CSN disse estar oferecendo 5,75 euros por ação por 100% da Cimpor.

 

Há pouco as ações ordinárias da companhia registravam queda de 4,21% (R$ 56,14).

 

A siderúrgica brasileira informou em fato relevante que pretende financiar a aquisição da Cimpor por meio de uma conjugação de recursos financeiros já disponíveis e outros a serem obtidos através de financiamentos junto a bancos de primeira linha. Segundo a CSN, a compra da Cimpor possibilitaria uma maior diversificação de produtos, mercados e localização geográfica de ativos e também ampliaria significativamente a presença da CSN no segmento de cimento.

 

(Com Sueli Campo, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsaBovespaabertura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.