Bolsa de China dispara com estímulo governamental

Os investidores receberam muito bem a decisão de Pequim de reduzir, de 0,3% para 0,1%, a taxa sobre as transações de compra e venda no mercado acionário (stamp duty). Para analistas, este foi o mais forte sinal de apoio emitido pelo governo chinês para estimular o setor.Com isso, as Bolsas da China apresentaram o maior ganho porcentual em único dia em seis anos e meio. O Xangai Composto subiu 9,3%, para 3.583,03 pontos, a maior alta diária desde 23 de outubro de 2001, quando disparou 9,9%. O índice, contudo, acumula perdas de 31,9% desde o início do ano, com queda de 41,5% desde o recorde de 6.124,04 pontos em meados de outubro. Já o Shenzhen Composto ganhou 8,7%, para 1.043,80 pontos.Os papéis de corretoras lideraram os ganhos, alavancados por esperanças de que a mudança no sentimento do mercado irá elevar as previsões de seus rendimentos. Citic Securities e Guoyuan Securities atingiram a alta limite diária de 10%.A maioria das blue chips também teve forte rali. Na Bolsa de Xangai, 195,6 bilhões de yuans em ações trocaram de mãos, no mais pesado volume de negociações desde 12 de outubro de 2007. Ping An Insurance e China Vanke também atingiram o limite de alta de 10%.A alta na taxa de paridade central dólar-yuan - de 6,9837 yuans para 6,9890 yuans - e a valorização do dólar nos mercados internacionais fizeram a moeda chinesa se desvalorizar em relação à unidade norte-americana no final do pregão. No mercado de balcão, às 4h30 (de Brasília), a cotação de compra e venda do dólar era de 6,9882 yuans, acima do fechamento de quarta-feira, que foi de 6,9827 yuans. (Ricardo Criez)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.