Bolsa de Madri acumula forte queda

Fortemente pressionada pela crise argentina, a Bolsa de Valores de Madri caiu mais do que o dobro do que a maioria das bolsas européias no início deste ano, frustrando as expectativas de alta para janeiro, um mês tradicionalmente positivo para o mercado espanhol. Em janeiro de 2001, a bolsa madrilenha havia subido 11,5%. Segundo o diário espanhol Expansión, o índice Ibex acumulou perdas, até ontem, de 4,63%, e registrou um declínio, apenas nas três primeiras semanas de 2002, superior à metade da perda registrada em todo o ano passado.As demais bolsas européias também registraram perdas nesse início de ano: o índice FTSE de Londres caiu 1,74%, o Dax Xetra de Frankfurt perdeu 0,73%, o índide da bolsa de Paris cedeu 3,8% e a de Milão, 1,57%. As empresas espanholas com investimentos na Argentina foram as mais afetadas. As ações do grupo petrolífero Repsol YPF cairam 16,06% desde 2 de janeiro, a pior performance do Ibex. A Telefônica perdeu 6,25% e a Endesa 5,98%.Leia o especial

Agencia Estado,

19 de janeiro de 2002 | 12h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.