Bolsa de Tóquio cai -0,04% após sessão travada pelo G-7

A sessão monótona dessa sexta-feira em Tóquio terminou com o Nikkei-225 registrando leve alta de 3,68 pontos (0,04%), em 10.460,92 pontos. O Topix, índice de abrangência maior, fechou em 1.028,83 pontos, com alta de 3,35 pontos (0,3%). A monotonia foi atribuída às expectativas sobre a renião de ministros das Finanças e presidentes de Bancos Centrais do G-7, em Boca Raton, na Flórida (EUA). Algumas ações de exportadoras registraram um desempenho fraco, repercutindo a percepção de que seus preços foram inflados nas sessões anteriores e que precisavam de um ajuste. A TDK caiu 1,5%; a Kyocera, 1,2% e a Fanuc, 0,8%. Para analistas, o rumo do mercado dependerá dos resultados do encontro de ministros de Finanças e presidentes de Bancos Centrais do G-7, que começa hoje.Se confirmadas as expectativas de que o iene subirá após o encontro, as exportadoras japonesas poderão ter uma trajetória turbulenta na próxima semana. Mas o estrategista-sênior da Okasan Securities, Tetsuya Ishijima, afirmou, no entanto, que a maioria dos exportadores já estão com hedges para eventuais oscilações cambiais e não deve ocorrer uma onda de pânico mesmo se o dólar cair abaixo de 105 ienes.Os principais bancos retomaram o movimento de recuperação, após terem sofrido pesadas perdas com as preocupações sobre inspeções da Agência de Serviços Financeiros. O UFJ Holdings subiu 2,5%; o Sumitomo Mitsui Financial, avançou 2,1% e o Mizuho Financial ganhou 1,7%. Na segunda-feira, os investidores deverão ficar atentos ao preço da Oferta Pública Inicial do Shinsei Bank. Se o preço para a IPO for fixado acima da faixa estimada pelo banco durante o processo de formação de preços, um número maior de investidores institucionais deve começar a reduzir posições em outros bancos para se prepararem para comprar as ações do Shinsei.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.