Bolsa de Tóquio cai 1%

A Bolsa de Tóquio voltou a fechar em baixa, com os investidores assumindo uma posição cautelosa diante da divulgação de dados sobre o mercado de trabalho, em agosto, nos EUA, que deverão dar uma indicação das condições econômicas norte-americanas. A queda também foi creditada ao contínuo desmonte de posições cruzadas por parte das corporações japonesas que estão fechando os livros do primeiro semestre fiscal, que se encerra em 30 de setembro. O índice Nikkei-225 caiu 93,05 pontos (-1,01%), para encerrar em 9.129,07 pontos. Na semana, o Nikkei acumulou perda de 5,09%. O Topix, índice amplo que acompanha o movimento de todos os papéis negociados na sessão matutina, caiu 9,72 pontos (-1,1%), para 894,33 pontos. Após o índice Nikkei-225 ter atingido, quarta-feira, o menor nível em 19 anos, os operadores japoneses intesificaram as pressões para que o governo anuncie medidas para revitalizar a economia do país, particularmente o enfraquecido setor financeiro.Entre as medidas aguardadas, os operadores pedem uma nova rodada de injeção de fundos públicos para que os bancos e as seguradoras façam frente aos seus créditos podres, além de corte nos impostos para as empresas. O ambiente no mercado não melhorou significativamente mesmo depois de a imprensa local ter publicado notícias de que o Partido Democrata Liberal e a coalizão governista vão definir um novo pacote anti-deflacionário antes de o premier Junichiro Koizumi viajar aos EUA na próxima semana. O bloco de papéis que fecharam em baixa incluiu ativos dos setores bancário, de tecnologia e e telecomunicações. No setor financeiro, o Sumitomo Trust caiu 3,4% e o Mitsubishi Financial perdeu 2,7%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.