Bolsa de Tóquio fecha 2008 com pior desempenho de sua história

O índice Nikkei da bolsa de valores de Tóquio amargou uma queda de 42 por cento em 2008, a pior perda em seus 58 anos de história, embora o indicador tenha conseguido fechar o último pregão do ano com alta de 1,3 por cento. Nos demais mercados acionários da Ásia, as principais bolsas fecharam os negócios desta terça-feira com valorização. A bolsa japonesa conseguiu encerrar o mês de dezembro com um ganho de 4 por cento, seu primeiro fechamento mensal com valorização desde maio. Mas sua perda anual foi a pior já registrada, superando a queda de 38,7 por cento de 1990. O índice ampliado de ações do Japão, o Topix, teve ganho de 0,5 por cento na terça-feira, mas também tombou 42 por cento no ano. As operações na bolsa japonesa voltam na segunda-feira, 5 de janeiro. Nas demais praças acionárias da região, os mercados subiram pelo segundo dia consecutivo, puxados novamente pelas empresas ligadas ao setor de matérias-primas, que podem se beneficiar da forte recuperação dos preços do petróleo diante dos ataques de Israel ao grupo islâmico Hamas. Analistas projetam um ano difícil em 2009, mas a esperança de novos pacotes de estímulo econômico dão certo alívio. Segundo Paul Biddle, um administrador de fundos da Souls Funds Management, na Austrália, "2008 foi o ano da serpente, todo mundo foi picado". "O próximo ano tem que ser melhor do que este ano. Vai ser um ano difícil... mas haverá uma resposta do mercado", acrescentou. O índice MSCI da região Ásia-Pacífico, que exclui o mercado japonês, subia 0,84 por cento, a 245 pontos, por volta das 7h19 (horário de Brasília), na esteira do movimento de valorização de ações como as da petrolífera chinesa CNOOC. O indicador ainda acumula um tombo de mais de 50 por cento em 2008, caminhando para registrar o pior ano de sua história, embora tenha subido mais de 25 por cento desde que atingiu seu menor patamar em cinco anos ao final de novembro. Um dos elementos que contribuiu para o tom positivo dos negócios nesta terça-feira foram as medidas de ajuda anunciadas na véspera por alguns governos ao redor do mundo. Nos Estados Unidos, o governo anunciou na segunda-feira a expansão do pacote de ajuda à indústria automobilística, por meio de 6 bilhões de dólares para o braço financeiro da General Motors, enquanto um jornal japonês disse que o país está considerando um esquema de 110 bilhões de dólares para comprar empréstimos de baixa qualidade e outros ativos financeiros de bancos. Sinais também estão aparecendo de que os investidores estrangeiros estão voltando para a Ásia. Em dezembro, o principal índice acionário da Coréia do Sul registrou seu primeiro mês de compra líquida de estrangeiros em seis meses. Nesta terça-feira, o índice Kospi teve ganho de 0,62 por cento. Na Austrália, a bolsa local subiu 0,91 por cento, aos 3.654 pontos. O mesmo se viu em Taiwan, onde o principal índice de ações encerrou o pregão com forte valorização, de 3,91 por cento. Na contramão, as bolsas de Cingapura e Xangai perderam 0,56 por cento e 0,95 por cento, respectivamente.

ELAINE LIES E RAFAEL NAM, REUTERS

30 Dezembro 2008 | 07h44

Mais conteúdo sobre:
BOLSA ASIA FECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.