Bolsa de Tóquio fecha em +1,1%

Com compras fortes em papéis de bancos e do Softbank, a Bolsa de Tóquio se recuperou nessa terça-feira da queda de ontem, quando atingiu o menor nível em três meses. No entanto, os participantes do mercado seguem pessimistas sobre a perspectiva futura do mercado, considerando que os ganhos dessa terça-feira são temporários e que os papéis devem seguir em correção técnica de baixa. O Nikkei-225 subiu 110,22 pontos (1,1%), mas ainda fechou abaixo do 10 mil pontos, em 9.897,05 pontos. Na segunda-feira, um alerta de que o Japão poderia ser alvo de um atentado da rede terrorista Al-Qaeda fez o Nikkei despencar 380,23 pontos, o que correspondeu à terceira maior queda do ano. Após o Topix, índice de abrangência mais ampla, somou 1,55 ponto (0,2%), para 973,44 pontos. As ações dos maiores bancos locais tiveram um desempenho retumbante, recuperando parte das perdas recentes. O UFJ Holdins subiu 9,5%; o Sumitomo Mitsui Financial, 7,8% e o Mizuho Financial, 4,7%. O Softbank, considerado referencial da demanda dos investidores individuais, disparou 11%, também em uma recuperação das quedas recentes. Um setor de destaque nessa terça-feira foi o farmacêutico.A Yamanouchi Pharmaceutical e a Fujisawa Pharmaceutical avançaram 6,3% e 4,2%, respectivamente, com os investidores reagindo à notícia do Nihon Keizai Shimbun de que as duas empresas estão negociando a integração de suas operações até a primavera de 2005. Outras companhias do setor reagiram de maneiras divergentes à notícia, já que podem sofrer uma concorrência mais acirrada caso a união se materialize. A Takeda Chemical subiu 1,9%, mas a Taisho Pharma cedeu 2,3%. A Sankyo ganhou 0,9% e a Daichi, 1,3%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.