Bolsa de Tóquio fecha em baixa de 2,4%

A Bolsa de Tóquio fechou em baixa pelo quarto pregão consecutivo, com os investidores estrangeiros se mantendo na ponta de venda em razão do pessimismo em relação ao pacote econômico que o governo local deve anunciar ainda hoje. As incertezas sobre o mercado acionário norte-americano também colocaram os investidores na defensiva. O índice Nikkei-225 caiu 256,52 pontos (-2,4%), para 10.664,11 pontos, o nível mais baixo desde 28 de fevereiro. O ministro de Finanças do Japão, Masajuro Shiokawa, fez comentário desanimadores sobre a política econômica durante o encontro de ministros das Finanças do G-7, no final de semana, o que desestimulou ainda mais os investidores. O Japão deve apresentar um novo pacote de estímulo econômico no final desta segunda-feira, mas Shiokawa sinalizou que as novidades não serão "significativas". Os bancos foram os mais afetados pelas vendas desta segunda-feira em Tóquio, com o Mizuho Holdings perdendo 4% e o Sumitomo Mitsui Banking, 7,2%. O Mitsubishi Financial Group recuou 4,4% e o UFJ caiu 5,2%. Outro destaque de baixa foi a NTT DoCoMo, que fechou com perda de 3,7%. Outras bolsasA Bolsa de Hong Kong fechou em baixa pelo quinto pregão consecutivo, após informações de que o HSBC, cujas ações têm relevante peso no mercado, injetou recursos em sua filial argentina. O índice Hang Seng caiu 123,26 pontos (1,1%) e fechou o dia em 10.832,26 pontos. Os papéis do HSBC perderam 0,9%. Na Bolsa da Coréia do Sul, o índice Kospi perdeu 12,85 pontos (1,6%) e terminou o pregão em 809,16 pontos. As ações da Hyundai Motor lideraram o movimento, por conta de ameaça de greve em função de questões salariais. As ações da empresa fecharam em baixa de 5,2%. Em Taiwan, as ações fecharam praticamente nos níveis do fechamento anterior na ausência de notícias relevantes nesta segunda-feira. O principal índice da Bolsa fechou em queda de 24,31 pontos (0,4%), em 5.537,81 pontos, com preocupações em relação ao setor de tecnologia limitando a ação dos investidores. Na Bolsa de Cingapura, o índice Strait Times caiu 9,98 pontos (0,6%) e fechou em 1.597,79 pontos. A retração foi provocada por inesperada queda nas exportações em maio - excluindo petróleo - e novas perdas nas ações da Singapore Telecomunications. Na Indonésia, o índice JSX composto, da Bolsa de Jacarta, recuou 0,491 ponto (0,1%) e fechou em 544,513 pontos, com realização de lucros na Astra International e blue chips de tabaco. Na Malásia, o índice composto da Bolsa de Kuala Lumpur, fechou em queda de 1,72 ponto (0,2%), em 746,79 pontos. A Bolsa da Tailândia fechou em queda de 5,05 pontos (1,2%), em 417,39 pontos, com realização de lucros em blue chips por estrangeiros. Na Bolsa das Filipinas, o índice composto caiu 14,94 pontos (1,2%) e terminou o pregão em 1.250,81 pontos. As informações são da agência Dow Jones.

Agencia Estado,

17 de junho de 2002 | 08h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.