Bolsa de Tóquio fecha em leve alta, de 0,2%

A Bolsa de Tóquio interrompeu uma seqüência de seis sessões em queda e fechou em alta, com as condições excessivamente vendidas desencadeando um movimento de busca de barganhas. O foco dos investidores foi direcionado para ações de empresas exportadoras, que tendem a se beneficiar da cotação depreciada do iene. O dólar subiu ontem ao maior nível em oito meses ante a divisa japonesa. O Nikkei-225 subiu 22,48 pontos (0,2%), para 10.907,18 pontos, liderado pelos papéis da Advantest, Ricoh e Honda.Na segunda-feira, o Nikkei caiu 554,12 pontos e acumulou uma perda de 10,33% na série dos seis pregões anteriores em que fechou em baixa. O Topix, índice de abrangência maior, fechou em 1.088,89 pontos, com alta de 3,35 pontos (0,3%). O volume negociado na primeira etapa da sessão foi de 1,79 bilhão de ações, abaixo do 1,90 bilhão de papéis movimentados ontem. "Após essa seqüência de perdas parece que o Nikkei já descontou todas as preocupações", disse o gerente geral da divisão de informações sobre ações da Shinko Securities, Yutaka Miura, referindo-se às preocupações sobre a possibilidade de aumento dos juros nos EUA e na China e também ao impacto sobre o aumento do petróleo.Para Miura, o comportamento futuro do mercado dependerá do rumo da Bolsa de Nova York e se o Dow Jones conseguirá voltar para acima dos 10 mil pontos. Além disso, os analistas acreditam que se o Federal Reserve conseguir esfriar a economia sem afetar o consumo e o ritmo de criação de empregos, o Nikkei e Wall Street devem, gradualmente, se recuperarem nos próximos meses. Entre os ativos que se destacaram na sessão de hoje estavam os da Advantest, que fabrica equipamentos para teste de semicondutores, que subiram 1,7%. A Honda avançou 0,9% e a Ricoh, fabricante de equipamentos de alta tecnologia para escritórios, ganhou 3,7%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.