Bolsa de Tóquio fecha em queda com aversão à risco

Bolsa de Tóquio fecha em queda com aversão à risco

O índice Nikkei fechou em desvalorização de 1,40%, a 14.532,51 pontos, acumulando perdas de 5,0% na semana

Estadão Conteúdo

17 de outubro de 2014 | 06h59

A bolsa de Tóquio continuou em queda nesta sexta-feira, com a continuação da aversão ao risco superando os benefícios de uma cotação do dólar menos volátil. O índice Nikkei fechou em desvalorização de 1,40%, a 14.532,51 pontos, acumulando perdas de 5,0% na semana e ultrapassando 10% de quedas no ano.

Essa é a primeira vez que o mercado acionário japonês acumula queda tão forte no ano desde as primeiras indicações de que o Federal Reserve começaria a cortar o programa de estímulos à economia dos Estados Unidos em maio de 2013.

"A estabilidade do dólar é geralmente positiva, mas a aversão ao risco é global, afetando todos os mercados", disse Yutaka Miura, analista técnico da Mizuho Securities. "Se as bolsas de Nova York continuarem a cair há poucas chances de as ações japonesas não serem afetadas", completou.

Para Lorne Steinberg, da Wealth Management, as quedas não surpreendem, uma vez que a valorização do último mês havia sido muito rápida e sem fundamentos. "Com os indicadores econômicos globais fracos, há poucas razões para inverter essa queda e o Nikkei deve ter dificuldade para ganhar terreno até o fim do ano", avaliou.

Segundo dados da Tokyo Stock Exchange, cerca de 35% dos volumes de negócio são de curto prazo, um sinal de que a fraqueza do mercado pode se estender pelo próximos pregões.

Entre as principais empresas listadas, a Fast Retailing caiu 0,7%, enquanto a fabricante de robôs Fanuc perdeu 1,4% e a telecom KDDI teve queda de 1,6%. As principais exportadoras também tiveram desemprenho negativo, com a Toyota Motor fechando com desvalorização de 2,5% e a Bridgestone caindo 3,0%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.