Bolsa de Tóquio fecha na maior alta diária em 16 meses

A bolsa de Tóquio fechou na maior alta em 16 meses nesta segunda-feira, após notícias de melhora na economia americana e da divulgação de um relatório otimista sobre os investimentos do fundo de pensão japonês no mercado interno. O índice Nikkei encerrou o pregão com avanço de 3,98%, a 15.111,23 pontos.

Estadão Conteúdo

20 de outubro de 2014 | 07h14

As ações japonesas abriram o dia já em alta, repercutindo o movimento de sexta-feira em Nova York, que foi marcado pelo avanço das bolsas em meio a divulgação de bons indicadores de sentimento dos consumidores. O dólar também avançou na sessão asiática no começo desta semana, ultrapassando o patamar de 107 ienes, ante os 106,22 ienes registrados na sexta-feira.

As notícias de que o fundo de pensão estatal (GPIF, na sigla em inglês), que controla cerca de 130 trilhões de ienes, deve aumentar a alocação de recursos em papéis do mercado doméstico para 25% foi bem recebida pelos investidores. Rumores de que o governo pode desistir do próximo aumento de imposto sobre consumo, esperado para 2015, também geraram otimismo.

"O movimento do mercado hoje foi expressivo, mas o quanto ele pode ser sustentável é questionável", disse Naoki Fujiwara, gestor de fundos da Shinkin Asset Management. "Os mercados globais, com receios renovados, estão longe da estabilidade e só se recuperarão se os dados de crescimento e as políticas monetárias forem bons o suficiente para tirar os investidores dessa onda de aversão ao risco", avaliou. Ele acrescentou que, por mais que os preços das ações ainda estejam baixos após as quedas deste mês, eles têm espaço para cair mais.

Entre os movimentos mais significativos do dia na bolsa japonesa, o SoftBank subiu 5,9% e a fabricante de robôs Fanuc teve alta de 5,7%, enquanto a KDDI avançou 4,0%. As principais exportadoras também tiveram bom desempenho, com a Toyota Motor valorizando 5,2% e a TDK avançando 5,3%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Japãobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.