Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsa de Tóquio perde 3,1% com queda do dólar e do petróleo

Realização de lucros em ações petrolíferas e de exportadoras provocaram maior baixa porcentual desde março

Hélio Barboza, da Agência Estado,

17 de agosto de 2009 | 09h25

A Bolsa de Tóquio sofreu nesta segunda-feira, 17, sua pior liquidação em mais de quatro meses, depois que a forte valorização do iene ante o dólar e a queda dos preços do petróleo estimularam as realizações de lucros em ações de petrolíferas e de exportadoras, como a Canon. O índice Nikkei 225 perdeu 328,72 pontos, ou 3,1% - a maior baixa porcentual desde 30 de março - e fechou na mínima do dia, aos 10.268,61 pontos.

 

Veja também

PIB do Japão cresce 0,9% no 2º trimestre e país sai da recessão

 

O mercado reagiu de forma relativamente calma à divulgação, antes da abertura dos negócios, dos dados que mostraram crescimento do PIB no segundo trimestre. "Os investidores começaram a realizar lucros depois de confirmar uma recuperação na economia", disse Toshihiko Matsuno, estrategista da SMBC Friend Securities.

 

Liquidações severas em várias outras bolsas asiáticas também exacerbaram a fraqueza no Nikkei durante a tarde, disseram analistas.

 

Os dados do PIB no trimestre abril-junho, que mostraram uma expansão de 3,7% em termos anualizados, sugeriram que o pior já passou para a economia japonesa. O país registrou crescimento pela primeira vez em cinco trimestres. Muitos analistas, porém, disseram que isso se deve parcialmente a um aumento das exportações, o que não necessariamente é uma boa notícia para a economia do Japão no médio prazo.

 

O dólar caiu de 95,28 ienes do fechamento da sexta-feira para 94,46 ienes, e arrastou as ações das exportadoras. Canon perdeu 3,5%. O setor de maquinários também foi atingido, com o declínio ampliado pelos dados do governo que mostraram uma queda de 4,3% nos investimentos das empresas durante o segundo trimestre, marcando o quinto trimestre seguido de redução. As ações da Fanuc cederam 4,4%.

 

As seguradoras se desvalorizaram com a série de terremotos da semana passada. Tokio Marine caiu 3,4%. No setor de petróleo, Inpex perdeu 4,8%, seguindo a queda de mais de 4% nas cotações da commodity no mercado futuro de Nova York, na sexta-feira.

 

Contrariando a tendência, as ações dos laboratórios farmacêuticos subiram depois do anúncio, durante o final de semana, da primeira morte de um portador do vírus da gripe suína no Japão. Chugai Pharmaceutical, que fornece o antiviral Tamiflu, fechou com alta de 0,3%, e Daiwabo, que fabrica máscaras, saltou 6,7%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
mercado financeirobolsaTóquio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.