Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bolsa de Tóquio sobe 1,95% e da China avança 1,68%

A Bolsa de Tóquio fechou acima dos 15 mil pontos pela primeira vez desde maio, sustentada pela fraqueza do iene frente ao dólar, enquanto na Bolsa de Xangai, China, os investidores fizeram as ações disparar na expectativa de que o governo anunciará um plano de reformas para as estatais.

Agencia Estado

15 de novembro de 2013 | 07h53

O índice Nikkei, da Bolsa de Tóquio, encerrou o dia com valorização de 1,95% aos 15.165,92 pontos, ampliando para 7,7% o ganho acumulado na semana, por enquanto a melhor de 2013. O dólar superou o patamar de 100 ienes pela primeira vez em dois meses.

A Bolsa de Xangai subiu 1,68% e fechou em 2.135,83 pontos depois de o People''s Daily reportar informação do vice-diretor do Escritório do Grupo Líder Central em Assuntos Econômicos e Financeiros, Yang Weimin, de que os líderes do país haviam aprovado um documento de 20 mil palavras no Terceiro Plenário do Comitê Central do Partido Comunista chinês envolvendo 15 setores.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou o dia em alta de 1,69% aos 23.032,15 pontos. Fonte: Dow Jones Newswire.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.