Bolsa de Tóquio sobe 2,2%, com decisão do BC

Os participantes do mercado acionário japonês tiveram uma sexta-feira agitada. Após começar o dia em leve alta, favorecida pela cobertura de posições vendidas na sessão de ontem, a Bolsa de Tóquio firmou o movimento ascendente motivado pelas notícias de que o Banco do Japão estava considerando a possibilidade de cortar a taxa oficial de desconto (ODR, na sigla em inglês) durante o encontro de seu comitê de política monetário, realizado hoje. O índice Nikkei-225 encerrou com ganho de 2,2%. O Banco do Japão (BOJ), o Banco Central do país, reduziu a ODR em 15 pontos-básicos, de 0,50% para 0,35%, enquanto optou por manter inalterada a taxa de empréstimo overnight, a sua principal taxa de juro, em 0,25%. Segundo o BOJ, a decisão teria o objetivo de ajudar a economia, mas os participantes do mercado japonês afirmaram que a medida não representa nenhuma mudança significativa nos custos dos empréstimos. De acordo com as fontes ouvidas pelas agências internacionais, a taxa de desconto, usada pelos bancos comerciais para tomar empréstimos do BC, ainda está mais elevada do que a taxa interbancária, oferecida para grandes empréstimos entre os bancos internacionais. Além disso, os bancos evitam solicitar empréstimo com a taxa de desconto, pois isso é considerado no mercado um sinal no mercado de que a instituição não tem credibilidade para levantar recursos no mercado interbancário. "A medida é uma espécie de camuflagem, usada para conter as pressões vindas do público", disse Yukari Sato, economista-sênior do Nikko Salomon Smith Barney, que destacou que a medida não representa nenhum grande alívio para o mercado. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.