Bolsa de Xangai dispara com corte de imposto sobre ações

As ações chinesas tiveram um dia deforte valorização e o dólar apresentou uma modesta recuperaçãonesta quinta-feira, influenciado mercados na região antes dadivulgação de balanços de empresas. Às 8h08 (horário de Brasília) o índice MSCI que reúnemercados da região Ásia-Pacífico exceto Japão tinha alta de0,08 por cento, aos 491 pontos. A boa notícia na China foi um corte de dois terços em umimposto sobre operações com ações, visto como uma tentativa dogoverno de interromper a queda aguda no índice ShanghaiComposite, que acumula desvalorização de mais de 50 por centodesde outubro do ano passado. Nesta quinta-feira, a bolsa tevealta de 9,29 por cento. "Hoje o mercado está cheio de exuberância. Maseventualmente são seus alicerces, e não as políticas dogoverno, que decidem o preço das ações", afirmou Chen Ge,diretor na Fullgoal Fund Management. "Assim, antes de vermos sinais de uma economia em melhora.Eu não creio que o rali se tornará uma decolagem. Futuras altasserão contidas pela vontade crescente dos acionistasinstitucionais de realizarem lucros." O índice Hang Seng da bolsa de HONG KONG ganhou 1,55 porcento, para 25.680 pontos. Em TAIWAN, a bolsa recuou 0,2 porcento. A alta em Xangai chegou a dar alguma força à bolsa noJapão, mas o nervosismo dos investidores frente aos resultadoscorporativos pesaram mais na sessão. O índice Nikkei da bolsade TÓQUIO recuou 0,28 por cento, para 13.540 pontos. A JFE Holdings, terceira maior produtora mundial de aço,divulgou uma queda de 2,1 por cento no lucro e afirmou aindanão estar pronta para oferecer uma projeção anual, uma vez queainda está negociando aumento nos preços. As ações da empresaperderam 2,6 por cento. Ações de mineradoras e petrolíferas como a BHP Billitontambém se desvalorizaram com o dólar reduzindo os preços dessascommodities. A última commodity a atingir preço recorde foi o arroz,segunda maior cultura de grãos do mundo, que vem atingindopicos consecutivos devidos a temores de escassez que levaram àrestrições de exportação. Na Coréia o Sul, a bolsa de SEUL recuou 0,08 por cento, a1.799 pontos. Na Austrália, a bolsa de SYDNEY teve queda de 1,16 porcento, para 5.587 pontos. CINGAPURA caiu 0,51 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.