Bolsa despenca e juro sobe com notícia sobre autoria do atentado

A série de atentados ocorrida esta manhã em Madri, na qual 192 pessoas morreram e mais de 1.247 ficaram feridas, reacendeu temores relacionados ao terrorismo globalizado. O governo espanhol declarou várias vezes não ter dúvida de que se tratou de atentado promovido pelo ETA, citando identificação de táticas semelhantes as utilizadas pelo grupo. No entanto, no final da tarde, o grupo terrorista de Osama Bin Laden, Al-Qaeda, assumiu a autoria dos atentados. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) no final da tarde, depois da notícia sobre a autoria dos atentados, chegou à mínima do dia e às 17h30 está em baixa de 2,59%. Os investidores passaram a aumentar as ordens de venda de ações nas mesas de operações dos bancos após a informação. Apesar da divulgação do Índice Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) dentro do esperado pelos analistas, os juros no mercado futuro subiram. Os contratos com taxas pós-fixadas (DI) negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) com vencimento em janeiro de 2005 pagavam taxa de 15,700% ao ano, ante 15,600% ao ano ontem. O mercado cambial fechou antes da notícia sobre a autoria dos atentados. O dólar comercial fechou em alta de 0,31% em relação aos últimos negócios de ontem, cotado a R$ 2,9090 na ponta de venda das operações. As bolsas européias despencaram. A bolsa de Madri fechou em queda de 2,18%. Nos Estados Unidos, o índice Dow Jones ? que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York ? estava em queda de 1,00% às 17h20 (horário de Brasília). No mesmo horário, a Nasdaq ? bolsa que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet ? estava em baixa de 0,38%.

Agencia Estado,

11 Março 2004 | 17h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.