Bolsa despenca e juros ajustam-se ao Copom

Um dia depois de o Comitê de Política Monetária (Copom) reduzir a Selic, a taxa básica de juros da economia, em 0,50 ponto porcentual, a economia norte-americana voltou a ser o centro das atenções. Os fracos resultados de grandes empresas dos EUA e a preocupação com novas elevações dos juros norte-americanos provocaram novas baixas nas bolsas em Nova York.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em baixa de 3,25%, com 28.344 pontos. Foi o menor fechamento desde 2 de setembro passado, quando o Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - marcou 28.319 pontos. Desta forma, nos primeiros 20 dias de outubro a bolsa paulista devolveu quase todos os ganhos de mais de 12% verificados no mês passado. Já no mercado de juros, as taxas fecharam em baixa, se ajustando à decisão do Copom. O dólar, por sua vez, encerrou o dia com a cotação estável, em R$ 2,2500.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.