Bolsa deve seguir cenário externo

Assim como nos últimos dias, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) deve seguir o comportamento do mercado internacional. As bolsas norte-americanas continuam atentas à divulgação dos resultados trimestrais das empresas. Hoje, entre outras companhias, a Intel e a IBM divulgam balanços. A Bolsa está em alta de 0,72%. A Nasdaq - bolsa dos Estados Unidos que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - opera em alta de 0,65% e o índice Dow Jones - mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na Bolsa de Nova York - registra alta de 0,15%.Os resultados das grandes empresas da velha economia, negociadas na Dow Jones, não têm decepcionado e isso ajuda a amenizar a apreensão com a Nasdaq. Outro fator de preocupação, o petróleo, teve a pressão suavizada desde ontem. Depois de despencar ontem à tarde, o barril abriu em alta hoje, mas recuou ainda nesta manhã em reação ao acordo entre Israel e Autoridade Palestina. Os negócios com o petróleo bruto do tipo Brent para entrega em novembro estavam, há pouco, em de em Londres, a US$ por barril. O acordo, porém, não é visto como definidor de cenário, pois ainda não há sinais de que os conflitos tenham cessado. No plano interno, o cenário continua positivo. O upgrade da Moody´s divulgado ontem (veja mais informações no link abaixo) era esperado e não animou a Bolsa, mas analistas dizem que as captações de empresas brasileiras podem aumentar. O leilão do Banestado previsto para hoje está suspenso por liminar, mas a expectativa do mercado é que a ação seja derrubada e a venda saia ainda hoje. Veja mais informações sobre a abertura do mercado de câmbio e juros no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.