Bolsa do Rio: maior oferta de títulos públicos

A partir de quinta-feira, a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro (BVRJ) vai ampliar o leque de negociações em mercado secundário, no qual podem atuar também pessoas físicas. O mercado secundário envolve qualquer operação com títulos que não seja primeira colocação de ações ou títulos.Com a decisão da Bolsa, os investidores poderão negociar mais quatro tipos de papéis: Letras Financeiras do Tesouro (LFTs), Notas do Tesouro Nacional série C (NTNs-C), Notas do Tesouro Nacional série D (NTNs-D) e Notas do Bano Central série E (NBCs-E). Veja as características de cada um na tabela abaixo. Antes, o investidor podia negociar somente Letras do Tesouro Nacional (LTNs), que são papéis prefixados, com diversas datas de vencimento e cuja rentabilidade se conhece no momento da aquisição do título. A LTN tem rendimento projetado de 1,25% este mês. No início de novembro, a Bolsa tornou disponível a simulação de negócios com os novos papéis. "Em agosto, lançamos as LTNs como teste de mercado e agora há espaço para colocação desses novos produtos", diz o presidente da BVRJ, Carlos Reis. Segundo ele, os títutos públicos ainda têm baixa liquidez, ou seja, o volume de negócios é considerado pequeno para propiciar compra ou venda em curtíssimo prazo.Veja quais são os procedimentosTodos os títulos poderão ser adquiridos por investidores em lotes iniciais mínimos de dez papéis, equivalentes a R$ 9 mil. A negociação deve ser feita por meio de corretoras. Será cobrada corretagem e taxa de emolumentos de 0,00075%, com valor mínimo de R$ 10,00. Na Bolsa, o prazo dos papéis disponíveis varia de 1 a 5 anos, mas há corretoras oferecendo títulos com vencimento em até 1 mês. Há a possibilidade de vender o papel antes da data do vencimento, porém com deságio. O Imposto de Renda incidente é de 20% sobre o rendimento. A liquidação dos títulos públicos exige reserva bancária, o que significa que o dinheiro fica parado por um dia, sem correção.SiglaNomeCaracterísticasLTNLetra do Tesouro NacionalTítulos com taxas prefixadas e prazos na emissão que hoje vão de 7 a 14 meses. No mercado secundário, há vários prazos, de acordo com o vencimento.LFTLetras Financeiras do Tesouro NacionalTítulos pós-fixados à taxa básica de juros - Selic. Na emissão primária estão com prazo de 4 anos. No secundário, o prazo vai depender do vencimento do papel.NTN-CNotas do Tesouro Nacional série CTítulos pós-fixados ao IGP-M, com 5 anos na emissão primária.NTN-DNotas do Tesouro Nacional série DTítulos remunerados pela variação cambial mais uma taxa de juros. No último leilão, os juros foram de 10,74% ao ano. Hoje, na emissão original, os prazos são de dois anos. No mercado secundário, são encontrados papéis emitidos originalmente com prazo de 1 a 30 anos.NBC-ENotas do Banco CentralVeja na matéria seguinte a opinião de analistas sobre esse investimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.