Bolsa do Rio volta a operar depois de quatro anos

A Bolsa de Valores do Rio de Janeiro (BVRJ) voltou a funcionar nesta sexta-feira, depois de quatro anos, quando as operações do pregão passaram a ser realizadas pela Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Na sua nova fase, a bolsa vai operar principalmente com títulos públicos. A instituição passa a integrar o Sisbex, Sistema de Negociação Eletrônica de títulos e venda da dívida e câmbio, que poderá mobilizar 40 corretoras nas negociações de títulos públicos, envolvendo de 30 a 40 milhões de dólares por dia.O reinício das operações na BVRJ também foi marcado pela instalação de uma Central de Atendimento aos Exportadores. A central é um sistema eletrônico que colocará pequeno e médio empresários em contato com o mercado internacional por meio do site da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BMF). O presidente da BMF, controladora da instituição, Manoel Cintra Neto, informou que serão lançados na bolsa do Rio os contratos de energia, petróleo e de meio ambiente, como a certificação de carbono.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.