Bolsa e dólar têm dia mais calmo; juros futuros sobem mais

O recuo no preço do petróleo e bom resultado das contas do Governo Central (superávit primário de 4,9% do PIB) deixaram o mercado brasileiro mais calmo neste último dia da semana. Exceto os investidores do mercado monetário. O contrato futuro de janeiro, o mais líquido, chegou ao final do dia com taxa de 18,05%, a mais alta já registrada no fechamento desse contrato. No câmbio, o dólar fechou em baixa de 0,53%, a R$ 3,195, acompanhando a queda do risco Brasil, que fechou em 749 pontos base (menos 9 pontos. No mês, o dólar comercial acumula alta de 8,97% e, no ano, +10,06%. Entre os papéis brasileiros, o C-Bond fechou em queda de 0,29%, para US$ 0,871. A bolsa encerrou os negócios em alta de 0,25%, em 18.285 pontos. O volume foi fraco: R$ 757 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.