finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bolsa ensaia, mas não segura alta

Temor com crédito prevalece sobre colocação de mais US$ 72 bilhões pelos BCs do Japão, Europeu e dos EUA

Claudia Violante, Denise Abarca e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2014 | 00h00

Os Bancos Centrais do Japão, Europeu e dos EUA voltaram a injetar liquidez nos mercados ontem, num total de cerca de US$ 72,090 bilhões, o que favoreceu a alta das Bolsas na Ásia e Europa. Os mercados de ações em Nova York e São Paulo também operaram em terreno positivo durante a maior parte do tempo. Mas, na última hora de sessão, a Bovespa seguiu a perda de fôlego das Bolsas em Wall Street, que terminaram em baixa. Isso porque persistem as preocupações sobre os problemas no setor de crédito. A Bovespa caiu 0,39%, para 52.434 pontos. O juro de janeiro 2010 recuou a 11,30% no pregão regular e subiu a 11,39% no eletrônico. O dólar à vista cedeu 0,44%, a R$ 1,9425 na BM&F, e 0,46%, a R$ 1,943 no balcão, após subir 3,39% e 3,50%, respectivamente, nos dois dias anteriores. O risco Brasil avançou para 191 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.