Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bolsa européias sem sincronia; Alcatel sobe 6,5%

As Bolsas européias registram desempenhos distintos nesta manhã com poucos negócios, em razão das expectativas sobre qual será a magnitude do afrouxamento da política monetária nos EUA. Em Paris, o índice CAC-40 subia 0,33%, com as ações da Alcatel apresentando valorização de 6,5%. A empresa anunciou nesta manhã que obteve lucro de 426 milhões de euros no quarto trimestre, um resultado 26% acima do ganho do mesmo trimestre de 1999. Apesar de ter rebaixado a sua previsão de crescimento para este ano de 25% para uma faixa entre 20% e 25%, a direção da empresa disse que as vendas da Alcatel crescerão em um ritmo mais forte do que a média do mercado. Outro destaque era a Bouygues, que cedia 2,5%, com os investidores reagindo ainda ao anúncio de que a empresa desistiu, ontem, da disputa pelas licenças UMTS de serviço de telefonia móvel de terceira geração na França. A companhia afirmou que procurará soluções paralelas para melhorar a sua rede. Em Frankfurt, o índice Xetra-DAX avançava 0,14%. Os papéis da Siemens subiam 1,7%, depois de a empresa ter informado que seu lucro cresceu 23%, para 778 milhões de euros, no trimestre até dezembro. Em Londres, o índice FT-100 recuava 0,63%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

31 de janeiro de 2001 | 10h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.