'Bolsa-Família' da indústria sai até o fim do mês

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, disse ontem que a nova política industrial será o ?Bolsa-Família? do setor de produção. ?Vamos pegar tudo que há no governo de forma desorganizada e dar uma coordenação. Será mais ou menos o Bolsa-Família da área industrial?, afirmou.O plano será apresentado até o fim deste mês pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo o ministro. Um dos principais pontos - os incentivos fiscais para as indústrias, com redução de alíquotas e impostos - não poderá ser definido sem a aprovação do Orçamento da União no Congresso. ?Há uma decisão do presidente de anunciar a nova política industrial uma semana depois da aprovação do Orçamento?, disse Jorge, após dar a aula inaugural do curso Master em Jornalismo, em São Paulo.O governo, disse Jorge, terá participação direta na busca de investimentos na nova política industrial. ?Usaremos a capacidade de compra do governo para alavancar a produção?, adiantou. A idéia é trazer para o Brasil empresas que hoje exportam produtos estratégicos para o governo. Há negociações em andamento na área da saúde, mas Jorge não quis antecipar o nome das empresas. Cálculos preliminares apontam para um aporte de investimentos de pelo menos US$ 200 milhões em novos negócios. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.