Bolsa fecha em alta de 2,69% e juros futuros recuam

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a romper os 18 mil pontos hoje por causa do resultado da Embratel, das bolsas em Nova York e da confirmação das conversas para a eventual renovação do acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). O bom resultado do indicador do nível de atividade (INA) da Fiesp confirmou a safra de boas notícias. A Bolsa avançou 2,69%, para 18.227 pontos. O giro financeiro totalizou apenas R$ 799,895 milhões.No mercado de juros futuros, os contratos com taxas pós-fixadas (DIs) negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) com vencimento em julho encerraram o dia com taxa de 17,48% ao ano, frente a 17,58% ao ano ontem. O contrato com vencimento em abril pagou juros de 17,67% ao ano, frente a 17,74% ao ano.O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,8600 na ponta de venda dos negócios, em baixa de 0,35% em relação às últimas operações de ontem. No início do dia, a moeda norte-americana foi negociada a R$ 2,8750 e oscilou da máxima de R$ 2,8790 à mínima de R$ 2,8550. Nesse patamar, o dólar registra queda de 1,14% em outubro e acumula baixa de 19,21% no ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.