Bolsa fecha em alta de 2,89% e dólar recua

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta pelo terceiro dia consecutivo, acompanhando a animação dos mercados norte-americanos com a decisão de manutenção dos juros no país em 5,25% ao ano. O Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - subiu 2,89%, para 45.630 pontos, retornando aos poucos às máximas registradas antes das turbulências dos mercados. O volume financeiro foi expressivo, de R$ 4,29 bilhões. Em Nova York, o dia foi de forte alta. O índice Dow Jones - que mede o desempenho das ações mais negociadas na bolsa americana - ganhou 1,30%. A Nasdaq - bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e internet - registrou valorização de 1,98%. Os investidores se animaram com o comunicado do Fed (banco central dos Estados Unidos) em que se manteve o alerta sobre a inflação, mas retirou a referência sobre a possibilidade de "apertos adicionais".Por aqui, o mercado recebeu pela manhã os números revisados do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2000 a 2005, sob nova metodologia do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com as novas taxas, o Brasil passou em 2005 para o 10º lugar no ranking das maiores economias mundiais, que considera o PIB em valores correntes em dólares, segundo estudo elaborado pela Austin Rating. No ano retrasado, o crescimento brasileiro ficou em 2,9%, contra taxa anterior de 2,3%. Dólar acentua quedaO dólar ampliou a queda após a decisão do Fed. A moeda norte-americana fechou em baixa de 0,82%, vendida a R$ 2,0600. É a menor cotação desde 5 de maio, quando a moeda norte-americana foi cotada a R$ 2,0560 reais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.