Bolsa fecha em alta, dólar sobe e juros estáveis

Os mercados terminam a semana em clima de tranqüilidade. Enquanto a eleição presidencial ainda não tem influência significativa sobre os negócios, no cenário externo não há fatos novos negativos que cheguem a impactar no humor dos investidores. Além disso, nesta semana especialmente, a redução da Selic, a taxa básica de juros da economia, foi bem recebida por grande parte dos investidores.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerra a sexta-feira com uma alta de 0,24%. Durante o dia, a Bolsa chegou a zerar o resultado negativo que apresentava no acumulado do ano. Segundo apurou a editora Márcia Pinheiro, isso aconteceu quando o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bovespa - operava em alta de 0,52%, em 13.600 pontos. O volume negociado ficou em R$ 599,354 milhões. As maiores altas entre as ações do Ibovespa foram as preferenciais (PN, sem direito a voto) da Siderúrgica Tubarão (5,97%), as ordinárias (ON, com direito a voto) da Petrobrás (2,29%) e Gerdau PN (2,27%). O dólar comercial encerra o dia cotado a R$ 2,4240, em alta de 0,08%. A moeda norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 2,4360 e a mínima de R$ 2,4230. No mercado de juros, os contratos futuros DI com vencimento em outubro, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) pagam juros de 18,480% ao ano - estáveis em relação ao fechamento de ontem.Mercados internacionaisEm Nova York, O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fecha em alta 1,36%. A Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registrou alta de 0,48% no final dos negócios.O índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em queda de 0,90%. Segundo apurou a correspondente Marina Guimarães, o dólar voltou a subir na Argentina e fechou a 2,15 pesos para a venda e 2,00 pesos para a compra. Em algumas casas de câmbio, a moeda fechou a 2,30 pesos. Operadores apontaram duas razões para a alta: a chegada do fim de semana, o que deixa a população temerosa de que alguma nova medida possa ser adotada; e a perspectiva de uma nova onda de revolta popular que poderá complicar a permanência do presidente Eduardo Duhalde no governo.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.