Bolsa fecha em baixa de 0,25% e juros futuros recuam

A prometida nova denúncia do senador Almeida Lima (PDT-SE) contra o ministro José Dirceu e seu ex-assessor Waldomiro Diniz não se concretizou. De imediato, o mercado acionário reagiu em alta à falta de novidades, atingindo a máxima de 0,96%, depois de cair 2,48% pela manhã. No encerramento dos negócios no mercado financeiro, Ibovespa ? índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) ? fechou em ligeira baixa de 0,25%, em 22.442 pontos. O volume financeiro somou R$ 1,109 bilhão. No mercado de juros, as ameaças de novas denúncias no caso Waldomiro também provocarem uma forte oscilação. Diante da ausência de fatos novos, os contratos com taxas pós-fixadas (DI) com vencimento em janeiro, negociados na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), que operava com taxa de 15,80% ao ano, recuou a 15,57% ao ano. O contrato fechou o dia com taxa de 15,54% ao ano. Ontem encerraram o dia em 15,58% ao ano. O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,8920 na ponta de venda dos negócios, em queda de 0,07% em relação às últimas operações de ontem. A moeda norte-americana iniciou o dia no patamar de R$ 2,9100 e oscilou entre a máxima de R$ 2,9200 e a mínima de R$ 2,8910. Com o resultado de hoje, a moeda norte-americana registra baixa de 0,38% em 2004.

Agencia Estado,

02 Março 2004 | 18h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.