finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Bolsa fecha em queda de 2,35%, ao nível de 53 mil pontos

Após três pregões de alta, mercado acionário sofreu influência do exterior e das intenções do governo de rever as regras do superávit primário

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

19 de novembro de 2013 | 18h18

SÃO PAULO - A Bovespa terminou a sessão desta terça-feira com queda de 2,35%, aos 53.032,91 pontos. Houve forte realização de lucros, após três sessões consecutivas de ganhos. Casou influência ainda o declínio das ações em Nova York antes do discurso de Ben Bernanke, presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) para economistas, marcado para esta noite.

Pesou também sobre o mercado acionário doméstico as declarações da presidente Dilma Roussef sobre o superávit fiscal e a possibilidade de votação de um projeto que desobriga a União a cobrir o superávit primário de Estados e municípios.

Na mínima, a bolsa registrou 52.831 pontos (-2,72%) e, na máxima, 54.304 pontos (-0,01%). No mês, o índice tem queda 2,25% e, no ano, baixa de 12,99%. O giro financeiro totalizou R$ 6,943 bilhões, um dos mais baixos no mês, por conta do feriado da Consciência Negra, amanhã, em algumas cidades do País. Os dados são preliminares.

Segundo operadores, os investidores atuaram fortemente na ponta vendedora, o que provocou queda de quase todos os componentes do índice. Entre os piores desempenhos da bolsa hoje estavam as ações de construtoras: Brookfield (-7,56%) e Gafisa (-6,71%) e bancos: Bradesco PN (-3,28%, Itaú Unibanco (-2,67%) e Santander (-2,57%). As blue chips Vale e Petrobrás também recuaram. Petrobrás PN (-1,54%), Petrobrás ON (-1,47%), Vale PN (-0,94%) e Vale ON (-1,79%).

Em Nova York, as bolsas se firmaram em queda no fim da tarde, atingindo mínimas na sessão, após registrarem bastante volatilidade, com a proximidade do discurso do presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, para economistas sobre comunicação e política monetária, previsto para as 22h desta terça-feira. Os investidores estão também cautelosos antes da divulgação de dados econômicos importantes e da ata da reunião de política monetária do banco central dos EUA, amanhã. O mercado está em busca de sinais mais claros sobre a possibilidade de o Fed começar a reduzir as compras de ativos já em dezembro. Às 17h30, Dow Jones perdia 0,12%, Nasdaq caía 0,63% e S&P 500 recuava 0,32%.

Antes da abertura do pregão, saíram números de inflação, que não mexeram com o humor no mercado de ações, mas são olhados com atenção para calibrar as apostas da magnitude do ciclo de aperto monetário. O IPCA-15 de novembro subiu 0,57%, de 0,48% em outubro, dentro das estimativas, que iam de 0,52% a 0,68%, com mediana de 0,65%. Já a segunda prévia do IGP-M teve variação de +0,30%, ante alta de 0,91% na segunda prévia de outubro, ficando dentro do intervalo das estimativas (de 0,25% a 0,52%) e abaixo da mediana das expectativas (+0,34%).

Tudo o que sabemos sobre:
bovespa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.