Bolsa fecha em queda de 3,26% e juros futuros sobem mais

Os investidores deverão continuar sensíveis, como ocorreu hoje, ao comportamento dos títulos do tesouro dos Estados Unidos e seu efeito sobre o C-Bond e risco Brasil; aos preços do petróleo; ao andamento das negociações entre o governo e Congresso sobre a reforma da Previdência; e a eventuais novas invasões pelos sem-teto e MST.Nesta sexta-feira, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 3,26%, na mínima pontuação do dia (13.129 pontos). O volume financeiro somou R$ 661 milhões. No mercado de juros futuros, os contratos com taxas pós-fixadas, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) com vencimento em janeiro de 2004, pagavam taxa de 22,220% ao ano, frente a 22,100% ao ano ontem. A cotação do dólar encerra a semana no nível mais alto desde 20 de maio passado, a R$ 3,0300 na ponta de venda das operações, registrando alta de 2,19% em relação aos últimos negócios de ontem. A previsão dos operadores das mesas de negociação é de que, se o fluxo de entrada de dólares continuar fraco como nos últimos dias, o dólar poderá seguir volátil e pressionado na próxima semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.