Bolsa fechou em baixa de 1,67% e juros futuros recuaram

A Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) fechou em baixa de 1,67% e o giro financeiro somou R$ 1,270 bilhão. O melhor desempenho entre as ações que compõem o Índice foi das ordinárias (ON, com direito a voto) do Banco do Brasil, com um salto de 3,05%. Na quinta-feira, o BB divulgou que obteve lucro líquido de R$ 1,7 bilhão até setembro, com aumento de 22,1% frente a igual período de 2002.No mercado de juros futuros, cresceu o otimismo em relação a uma nova queda da taxa de juros na reunião mensal do Comitê de Política Monetária (Copom), cujo resultado será anunciado na quarta-feira. Hoje, a Selic, a taxa básica de juros da economia, está em 19% ao ano e a expectativa é de uma redução em torno de 1 ponto porcentual. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), os contratos com taxas pós-fixadas (DIs), com vencimento em julho, encerraram o dia com taxa de 17,16% ao ano, frente a 17,26% ao ano na sexta-feira. Já o contrato com vencimento em janeiro fechou com taxa de 17,79% ao ano, frente a 17,86%.O dólar comercial fechou em queda de 0,61% em relação aos últimos negócios de sexta-feira. Na ponta de venda das operações, a moeda norte-americana foi negociada a R$ 2,9320. O dólar iniciou o dia no patamar de R$ 2,9560 e oscilou da máxima de R$ 2,9710 à mínima de R$ 2,9310. Com o resultado de hoje, o dólar registra alta de 2,30% em novembro e acumula baixa de 17,18% no ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.