Bolsa lidera ranking das aplicações pela 4ª vez consecutiva

Embora modesta, a valorização de 1,94% garantiu à Bolsa de São Paulo (Bovespa), pela quarta vez consecutiva, o primeiro lugar na corrida dos investimentos em setembro. As posições seguintes foram sustentadas pelas aplicações de renda fixa: empatados atrás da Bolsa ficaram os CDBs para aplicações acima de R$ 100 mil, fundos DI e fundos de renda fixa, todos com rendimento médio bruto de 1,24%. Foram as únicas aplicações que, ao lado dos CDBs para baixos valores, com rentabilidade de 0,97%, ganharam da inflação de 0,69% pelo Índice Geral dos Preços de Mercado (IGP-M). O dólar manteve a última posição. O comercial foi o pior investimento pelo quarto mês seguido, com desvalorização de 2,36% em setembro, só atrás do paralelo, que recuou 1,80%. As cotações no câmbio não resistiram à forte oferta de dólares no mercado proveniente dos fluxos comercial (exportações) e financeiro (captações externas). A alta da taxa básica de juros também reforçou a atração do capital estrangeiro para investimento em títulos de renda fixa. No balanço do ano, destacam-se as aplicações de renda fixa. O CDB para grandes volumes teve rendimento bruto de 11,88%, seguido pelos fundos DI, com 11,53%, e fundos de renda fixa, com 11,30% - todos acima da inflação de 10,25% pelo IGP-M nos nove meses do ano. A Bolsa paulista acumula valorização de 4,54%.Veja no link abaixo o ranking completo das aplicações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.