Bolsa não paga CPMF a partir de hoje

Finalmente, depois de anos de discussões, o mercado de ações teve uma de suas principais reivindicações atendidas, a isenção da cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) nas operações de compra e venda nas bolsas de valores brasileiras. A última prorrogação da CPMF, que como toda contribuição provisória deve ser aprovada pelo Congresso Nacional de acordo com um prazo de vigência preestabelecido, vale até dezembro de 2004. A isenção também vale para as câmaras de compensação, as companhias securitizadoras que negociam créditos adquiridos de terceiros e as operações indiretas de ações no chamado mercado de derivativos. Também não pagam CPMF os investidores estrangeiros que aplicarem seus recursos em bolsa ou derivativos no momento do ingresso e de saída dos recursos do Brasil. Para os objetivos da medida, pode ser um pouco tarde. Espera-se que o mercado financeiro brasileiro, especialmente o acionário, torne-se, assim, mais competitivo para o investidor estrangeiro, o que certamente ocorre sem a cobrança da CPMF. Mas o momento é de incertezas no mercado doméstico e de enorme retração dos investimentos de risco internacionalmente, especialmente para países emergentes, como o Brasil. Ou seja, a possibilidade de um novo governo sem tanta convicção na necessidade de manter regras pró-mercado e a crise de confiança internacional nas empresas norte-americanas aliados ao fraco desempenho das economias centrais traz poucas perspectivas de investimentos em ações no Brasil. E provavelmente a isenção da cobrança de 0,38% não deva ser suficiente para reverter o quadro de saída de recursos da bolsa de maneira significativa.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.