carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Bolsa sobe 38,51% desde 6 de março

Percepção de que a recessão global pode estar perto de terminar estimula compra de ações brasileiras

Claudia Violante, Silvana Rocha e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

09 de maio de 2009 | 00h00

O relatório do mercado de trabalho nos EUA melhor do que o esperado deu continuidade, ontem, ao fluxo de entrada de investidores estrangeiros no Brasil e o Ibovespa subiu 2,67%, aos 51.395,99 pontos. Com o resultado, a Bovespa registrou sua nona semana de ganhos, período no qual a valorização acumulada foi de 38,51%, superior ao desempenho em 2009, de 36,87%. Nessa 6ªF, as ações PN da Petrobrás e as ON da BM&FBovespa, que registraram avanços de 3,19% e 7,79%, respectivamente, conduziram o movimento favorável da Bolsa paulista em meio à valorização dos índices acionários nos EUA. Em Nova York, o índice Dow Jones subiu 1,96% e o Nasdaq, 1,33%. No câmbio, o BC realizou um leilão de compra de dólares no mercado à vista, após quase oito meses sem fazer esse tipo de operação. A atuação da autoridade monetária, porém, não foi suficiente para conter a trajetória de baixa da moeda à vista, que fechou com recuo de 1,99%, a R$ 2,068 no balcão. O mercado de juros encerrou bem mais confiante na continuidade da queda da taxa Selic, graças às mensagens captadas na ata do Copom divulgadas na 5ªF. A taxa de janeiro de 2010 recuou a 9,48%. FRASEHugo PenteadoEcon.-chefe do Santander Asset Management"Políticas expansionistas trouxeram sinais de estabilidade nos EUA e na economia global. Possivelmente já atingimos pior momento da crise"

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.