Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Bolsa sobe 5% e volta a 51 mil pontos

Ambiente externo positivo e forte demanda por ações de investidores estrangeiros garantiram a valorização

Claudia Violante, Denise Abarca e Silvana Rocha, O Estadao de S.Paulo

19 de maio de 2009 | 00h00

A Bovespa registrou, ontem, a segunda maior alta em maio, ao subir 5,01% (atrás apenas dos 6,59% do último dia 4) e fechou aos 51.463,02 pontos (maior pontuação desde 6/5, aos 51.499,48 pontos). O expressivo desempenho ocorreu em meio ao vencimento de opções sobre ações, que ajudou a elevar o giro financeiro, além da forte presença de investidores estrangeiros no pregão. O ambiente positivo foi amparado pelas valorizações das bolsas europeias, norte-americanas e também algumas asiáticas, com destaque para a Bolsa da Índia, após a vitória da coalização liderada pelo Congresso nas eleições. A sinalização pelo governo da China de que pretende elevar em 18% até 2011 a média de barris processados por dia, ante a média diária do ano passado, favoreceu ainda um aumento do petróleo para junho em Nova York, de 4,77%, para US$ 59,03 o barril. A commodity foi sustentada ainda pelo agravamento da tensão na Nigéria. EmWall Street, o índice Dow Jones subiu 2,85% e o Nasdaq, 3,11%. No mercado de juro, as taxas ameaçaram ajuste de alta no final da tarde, após passar o dia em queda firme. A taxa de janeiro de 2010 fechou estável, a 9,33%, e a de janeiro 2012 em 10,57%. O dólar à vista caiu 1,61%, a R$ 2,076 no balcão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.