Bolsa sobe 6,5% na semana e risco cai para nível recorde

A Bolsa de Valores de São Paulo fechou a sexta-feira com valorização discreta, mas o ganho semanal foi forte, mostrando que aos poucos o mercado se recupera das perdas registradas no início do mês. Na semana, o Ibovespa - índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa - acumulou alta de 6,56%, aproximando-se dos níveis observados antes das turbulências que afetaram os mercados globais entre o fim de fevereiro e o começo de março. O ganho expressivo veio em sua maior parte nos primeiros três dias da semana, que culminaram em um comunicado mais ameno que o esperado do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos) depois da decisão sobre o juro, na quarta-feira. Depois disso, o tom adotado pelos investidores foi de cautela e ajuste de posições. Nesta sexta, o Ibovespa teve valorização de apenas 0,24%, para 45.532 pontos. O volume financeiro ficou em R$ 2,57 bilhões. "O mercado aqui está um pouco de ressaca, porque deu aquela esticada forte, que para mim foi uma interpretação exagerada (do comunicado) naquele dia e agora está ajustando um pouco", explicou Luiz Roberto Monteiro, assessor de investimentos da corretora Souza Barros. Em Nova York, o índice Dow Jones - que mede o desempenho das ações mais negociadas na bolsa - subiu 0,16% e a Nasdaq - bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e internet - caiu 0,11%.No mercado cambial, o dólar encerrou esta sexta-feira com leve alta de 0,05%, cotado a R$ 2,0620. No fim da tarde, o risco Brasil, que reflete a percepção do investidor estrangeiro sobre o País, exibia nova mínima histórica. Caía 1,71% para 172 pontos base.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.